Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.
OK
A associação
Notícias
Guias
Congresso
Dados educacionais
Edital
Editora pública
Banco de fontes
CONTATO
ASSOCIE-SE
LOGIN ASSOCIADO
Marcelo Camargo/Agência Brasil
Institucional

Abraji e Jeduca repudiam invasão golpista e ataques à imprensa

Nos atos violentos deste domingo (8/1), ao menos cinco jornalistas foram atacados

08/01/2023
Abraji e Jeduca

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) e a Associação de Jornalistas de Educação (Jeduca) condenam a invasão dos prédios do Congresso Nacional, do Planalto e do Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília, por criminosos neste domingo (8/1/2023). Também repudiam ataques a jornalistas que tão somente cumpriam seu papel de acompanhar e reportar esses eventos que atentam contra a democracia brasileira.

Ao menos cinco jornalistas foram agredidos ou tiveram seus equipamentos quebrados e até mesmo roubados, segundo informações fornecidas pelo Sindicato dos Jornalistas do Distrito Federal. Foi o caso do fotógrafo da Folha de S.Paulo Pedro Ladeira, que foi chutado, empurrado e teve o equipamento roubado pelos vândalos, enquanto cobria as manifestações golpistas.

"Enquanto me agrediam, diziam que estavam lá para tomar o Brasil, e que eu estava ali para f… com eles, porque eu era fotógrafo", disse ele, acrescentando que outros colegas foram atacados.

A Abraji, assim como a Jeduca e outras organizações de liberdade de imprensa, vinha relatando e denunciando a escalada da violência dentro desses grupos extremistas, sem que o poder público e as forças de segurança tomassem providências adequadas. De 30/10/2022 a 6/1/2023, a Abraji em parceria com a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) registrou 77 ataques de violência política contra a imprensa

A Abraji localizou, em grupos de mensagens bolsonaristas, ameaças de invasão também a meios de comunicação como forma de coagir, constranger e impedir o exercício do jornalismo. A liberdade de imprensa tem garantia constitucional e um jornalismo livre e seguro é fundamental para manter o Estado Democrático de Direito.

A baderna e a destruição promovidas nas sedes dos Três Poderes ferem a democracia brasileira e emulam o episódio da invasão do Capitólio, sede do Congresso dos Estados Unidos, em 6.jan.2021, protagonizada por apoiadores do ex-presidente Donald Trump. Uma das mais completas reportagens sobre o episódio norte-americano foi feita pelo New York Times, e a repórter Haley Willis contou como ela foi realizada no Congresso da Abraji de 2022.

A Abraji e a Jeduca repudiam de forma veemente a invasão e os ataques aos poderes e à imprensa, e se solidariza com os jornalistas agredidos, seus familiares e colegas. E exorta as autoridades públicas a identificar e responsabilizar os culpados pelas tristes cenas registradas no coração político do Brasil.

Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji)
Associação de Jornalistas de Educação (Jeduca)

##defesadaimprensa#democracia

PARCEIROS FINANCIADORES
Fundação Lemann
Fundação Telefônica Vivo
Instituto Ayrton Senna
Instituto Natura
Instituto Unibanco
Itaú Social
Itaú Educação e Trabalho
Maria Cecilia Souto Vidigal
B3 Social
PARCEIROS INSTITUCIONAIS
Abraji
Campanha Nacional pelo Direito à Educação
CENPEC
OEI
Porto Lauand
Todos Pela Educação
UNESCO
Moderna
Loures
ASSOCIAÇÃO DE JORNALISTAS DE EDUCAÇÃO