Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.
OK
A associação
Notícias
Guias
Congresso
Dados educacionais
Edital
Editora pública
Banco de fontes
CONTATO
ASSOCIE-SE
LOGIN ASSOCIADO
Divulgação/Secretaria de Estado da Educação de Alagoas
Guias

Miniguia dá dicas de cobertura sobre educação profissionalizante

Material elaborado pela Jeduca traz subsídios com o objetivo de contribuir para uma cobertura jornalística qualificada sobre a EPT (Educação Profissional e Tecnológica)

22/11/2022
Marta Avancini

A EPT (Educação Profissional e Tecnológica) é uma modalidade de ensino prevista na legislação educacional brasileira com o objetivo de oferecer uma formação integral e preparar o cidadão para ingressar no mundo do trabalho.



Entre os desafios que se colocam para o Brasil no campo da educação na atualidade está ampliar o acesso à EPT, por ser uma modalidade capaz de oferecer ao jovem uma formação integral ao mesmo tempo que pode lhe propiciar uma trajetória de vida e no mundo do trabalho.


O PNE (Plano Nacional de Educação) prevê que o país deve triplicar as matrículas entre 2014 e 2024, chegando à faixa dos 5 milhões de alunos – meta que, já se sabe, não será atingida, visto que o Censo Escolar 2021 registrou menos de 1,9 milhão de matrículas, menos de 40% da meta.

Além disso, especialistas apontam que o país tem uma taxa baixa de matrículas na modalidade: a EPT corresponde, aproximadamente, a 20% do total de matrículas no ensino médio.


Na campanha eleitoral de 2022, o desafio de ampliar a oferta da educação profissional foi um dos poucos temas da área da educação que chegou a ser mencionado em programas de governo e em debates.


Um exemplo é uma proposta defendida pelo deputado federal Reginaldo Lopes, que representou a campanha do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva no 6º Congresso Internacional de Jornalismo de Educação da Jeduca, realizado em setembro: a criação de um sistema colaborativo envolvendo institutos federais, instituições de ensino superior públicas e privadas, Sistema S e empresas com o objetivo de ampliar e diversificar a oferta de itinerários formativos aos alunos de ensino médio.


Essa ideia está relacionada à implementação do Novo Ensino Médio, iniciada em 2021, e à expectativa de aumento da oferta e das matrículas em EPT, pois este é um dos itinerários formativos do novo arranjo curricular. Outro aspecto que merece atenção é a situação da rede federal de ensino profissional e tecnológico, que vem sendo alvo de cortes orçamentários durante o atual governo e teve redução do número de matrículas nos últimos anos.


Com a eleição de Lula, em meio aos desafios atuais na área da educação  - que abrangem desde os ônus da pandemia de covid-19 (por exemplo, a necessidade de recompor a aprendizagem) até a redução de recursos para o setor -,  vale acompanhar qual será a configuração da EPT no novo ciclo, que se inicia em 1º de janeiro de 2023.



A ideia deste material elaborado pela Jeduca é trazer subsídios para uma cobertura jornalística qualificada sobre o tema. A associação também realizou uma oficina com base nesse conteúdo no último dia 22 de novembro, conduzida pela Editora Pública e de conteúdo da Jeduca, Marta Avancini. 

 

O material conta com o histórico e a legislação da educação Profissional e tecnológica no Brasil, traz informações e dados sobre a modalidade de nível médio e de nível superior, traz exemplos de experiências nos estados, o Brasil em relação ao cenário internacional, o financiamento da modalidade, sugestões de fontes e referências bibliográficas. Além disso, o miniguia destaca também dicas de pautas e pontos de atenção para a cobertura sobre o tema. São elas:

  • Políticas e programas para expansão da oferta de nível federal e estadual. Acompanhar processos de implementação, características, financiamento.

  • Recursos disponíveis e execução orçamentária da rede de institutos federais e de programas do MEC em parceria com estados e municípios.

  • Ritmo e condições de implementação do itinerário FPE no Novo Ensino Médio.

  • Qualidade da oferta da EPT no âmbito do Novo Ensino Médio (infraestrutura, professores em número suficiente etc.).

  • Parcerias entre as redes públicas e empresas e organizações sociais para oferta de cursos profissionalizantes (como funcionam, tipo de formação oferecida e como ela se articula com o ensino médio regular).

  • Articulação da EPT com o desenvolvimento local por meio da oferta de cursos em áreas/temas relevantes para a região.

  • A EPT como possibilidade de inclusão de populações que excluídas do sistema escolar por meio da integração com a EJA.

  • A EPT como alternativa de continuidade de estudos e formação para jovens que não estudam, nem trabalham ou para aqueles que concluíram o ensino médio e não ingressam na educação superior.


Você pode baixar aqui o miniguia e oficina pode ser conferida no vídeo a seguir.





Encontrou algum erro ou tem outras sugestões de estudos e referências sobre o tema? Compartilhe com a gente em contato@jeduca.org.br. 

#NovoEnsinoMedio #miniguia #guiadecobertura #EPTnoEM #ept #educaçaoprofissionaletecnica #EnsinoMédio #educacaoprofissional #educaçãoprofissional

PARCEIROS FINANCIADORES
Fundação Lemann
Fundação Telefônica Vivo
Instituto Ayrton Senna
Instituto Natura
Instituto Unibanco
Itaú Social
Itaú Educação e Trabalho
Maria Cecilia Souto Vidigal
PARCEIROS INSTITUCIONAIS
Abraji
Campanha Nacional pelo Direito à Educação
CENPEC
OEI
Porto Lauand
Todos Pela Educação
UNESCO
Moderna
Loures
ASSOCIAÇÃO DE JORNALISTAS DE EDUCAÇÃO