Este site usa cookies e dados pessoais de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando neste site, você declara estar ciente dessas condições.
OK
A associação
Notícias
Guias
Congresso
Dados educacionais
Edital
Editora pública
Banco de fontes
CONTATO
ASSOCIE-SE
LOGIN ASSOCIADO
Cursos

Os desafios da implementação do Novo Ensino Médio em pauta

Em minicurso da Jeduca, a jornalista e pesquisadora Ângela Chagas sinalizou quatro temas que merecem atenção na cobertura das eleições de 2022

22/08/2022
Redação Jeduca

A implementação do Novo Ensino Médio é um dos principais temas da política educacional no Brasil neste ano de 2022. Por isso, é um assunto que deverá estar presente na campanha eleitoral, já que envolve não apenas os governos estaduais (responsáveis pela oferta de ensino médio), quanto a administração federal, que, por lei, deve dar suporte técnico e financeiro aos estados.

 

Para mapear os desafios e os pontos de interesse da cobertura sobre este tema, a Jeduca ofereceu o minicurso “Os desafios da implementação do Novo Ensino Médio”, com a Ângela Chagas, jornalista e doutoranda em Educação na UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) e Marta Avancini, editora pública e de conteúdo da Jeduca.

 

O minicurso integra a série “Jornalismo de educação e as eleições de 2022”, oferecido pela Jeduca para trazer subsídios para a cobertura de educação na campanha eleitoral deste ano. Todo o material pode ser acessado aqui.

 

No curso, foram abordadas algumas questões que merecem atenção da imprensa e que podem render pautas:

 

Ampliação da carga horária, que passou a ser de 1.000 horas anuais a partir de 2022, envolvendo uma série de adequações de infraestrutura e pessoal, a fim de dar conta da nova jornada de cinco horas diárias de aula. Um desafio que se coloca é como aumentar o tempo de permanência do estudante na escola assegurando a qualidade? Outro aspecto é o ensino médio noturno, geralmente frequentado por estudantes trabalhadores e com carga horária menor que o diurno.

 

Flexibilização curricular x precarização. A parte flexível do currículo - que corresponde a 40% do total - tem como objetivo permitir que os estudantes possam escolher uma formação alinhada com seus desejos, expectativas e projetos de futuro. No entanto, quais são as condições para que as escolas possam assegurar de fato diversidade de oferta aos estudantes? Um ponto relevante é contar com professores formados para dar conta das novas possibilidades de formação. Outro desafio é a comunicação, já que existe uma diversidade de possibilidades de modos de organização da parte flexível do currículo, não existindo um modelo único.

 

Professores e infraestrutura são dois aspectos fundamentais para que a implementação do Novo Ensino Médio ocorra da maneira esperada, o que envolve planejamento, investimento em formação e aporte de recursos adicionais, em muitos casos.

 

As desigualdades educacionais que caracterizam o Brasil podem ser ampliadas no contexto da implementação do Novo Ensino Médio, na visão de especialistas, pois as condições para ofertar o novo currículo variam significativamente entre os estados e internamente nas redes de ensino (por exemplo, entre escolas centrais e periféricas ou entre escolas da capital e do interior). Há também a desigualdade entre rede pública e rede privada, que merece a atenção da cobertura.

 

Assista às duas aulas do minicurso:

 

 

 

Veja também o vídeo sobre o Novo Ensino Médio com Katia Smole, diretora executiva do Instituto Reúna:

 

 

E veja o vídeo com Fernando Cássio, professor da UFABC (Universidade Federal do ABC) e membro da Repu (Rede Escola Pùblica e Universidade), sobre a implementação do  do Novo Ensino Médio:

 

 

#martaavancini #minicurso #novoensinomédio #fernandocássio #katiasmole #eleições2022 #angelachagas

PARCEIROS FINANCIADORES
Fundação Lemann
Fundação Telefônica Vivo
Instituto Ayrton Senna
Instituto Natura
Instituto Unibanco
Itaú Social
Itaú Educação e Trabalho
Maria Cecilia Souto Vidigal
PARCEIROS INSTITUCIONAIS
Abraji
Campanha Nacional pelo Direito à Educação
CENPEC
OEI
Porto Lauand
Todos Pela Educação
UNESCO
Moderna
Loures
ASSOCIAÇÃO DE JORNALISTAS DE EDUCAÇÃO